Facebook Forum School Instagram Forum School midia social Forum School
telefone Forum School41 99930-0422 telefone Forum School41 3076-0012

Nosso Blog

25.ABR.2017

Como bailarinas profissionais cuidam dos pés e lidam com a dor

img

Conversamos com duas bailarinas profissionais que contaram sobre momentos de dores e como cuidam dos pés.

“Dancei o papel principal de Sinfonia 3 de Carlos Trincheiras com um entorse no pé esquerdo. Sentia muita dor cada vez que subia nas pontas”, relembra Regina Kotaka, bailarina há 48 anos, atualmente do Balé Teatro Guaíra. Essa foi a fratura mais grave que o balé já a causou, passando por joanetes, bolhas, calos, hálux (deformação que desvia o dedão) e artrose, sendo que está última a levou até para cirurgia.

De acordo com Malki Pinsag, bailarina há 25 anos, também do Balé Teatro Guaíra, as bolhas e os calos são problemas frequentes. Entretanto, as bolhas vão surgindo cada vez menos na convivência com a dança.

A dica que ela dá para amenizá-las é usar algum tipo de pó cicatrizante, ou então, ao final do dia, por os pés para cima e fazer uma compressa ou com chá de camomila ou uma salmora, pois ambos ajudam a cicatrizar mais rápido qualquer ferida.

Malki Pinsag também conta sobre as dores que o balé já a causou, como quando torceu e luxou o pé e teve que recorrer ao tratamento com fisioterapia e assistência de um osteopata. Em outros momentos, as dores foram tão insuportáveis que a fizeram pensar que ela não conseguiria prosseguir na apresentação, como no relato de Regina. “Acontece principalmente quando você está em época de espetáculos e precisa ensaiar e dançar. Quando eu usava sapatilhas de ponta, lembro que eu as tirava e meus pés estavam sangrando, e mesmo com as feridas abertas eu precisava por de novo as sapatilhas para o ensaio ou apresentação”, relembra Malki.

Ambas as bailarinas não usam um produto especifico para cuidar dos pés, mas tem regras diárias como:

  • Chegar antes das aulas e massagear os pés
  • Alongar os pés como alongam todo resto do corpo
  • Aquecê-los com um elástico, fazendo movimentos no qual a musculatura vai acordando suavemente.

Regina afirma que já usou produtos como pomadas quentes e frias, salompas e cataflan, mas ela acredita que a ajuda é mais psicológica.

Por fim, Regina aconselha que toda bailarina deve trabalhar com consciência e principalmente respeitando e conhecendo os limites de seu corpo. E Malki completa “Escute seu corpo. Se dói, é porque algo está errado.

Esteja atenta a dor do esforço e a dor do machucado”. Caso as dores não passem, Malki indica que outras atividades em paralelo ao balé sejam feitas, como pilates, yoga ou a fisioterapia. “Escutar o seu corpo é sempre a melhor medida para ter uma vida saudável, seja na dança, seja no seu cotidiano”.

 Agora que você já sabe como bailarina profissionais lidam com a dor, conheça um pouco mais sobre o curso de ballet adulto clicando aqui.

 

Comentários

Deixe seu comentário

Forum School ligamos

Ligamos para você

Para sua comodidade preencha o campo com seu nome e número de telefone

Forum School ligamos